Glenarte
      
     55 11  4192.3812/2824
 
 
Maurice Prowizur

Maurice Prowizur nasceu em Bruxelas, em 1933, em uma família judaico tradicional e humilde. Caçula de quatro filhos, ele seguiu o percurso da maioria dos judeus da Europa – a segunda guerra mundial, em 1940, obrigou todos eles a se econder e fugir para escapar das perseguições nazistas.
Muito marcado pela tragédia, com 14 anos, ele deixou a Bélgica e foi para o novo estado hebreu, que tinha acabado de sr criado: Israel. Trabalhou a terra, morando em um kibutz que plantou profundamente as raízes de seu judaísmo. Com 17 anos, ele teve de se alistar no exercito de seu novo pais, servindo durante 3 anos. Durante essa época ele foi influenciado por um amigo pintor e decidiu se matricular na escola de artes de Marcel Yanko, muito conhecido no mundo artistíco. Yanko reparou que tinha em seu ateliê um aluno muito talentoso e cuidou dele pessoalmente. Enquanto marc Chagal estava em visita a Israel, Maurice lhe foi apresentado. Perante o talento desse jovem, Chagal o aconselhou a aperfeiçoar seu talento em seu pais de origem, Bélgica , Maurice tinha de decidir se voltava para o Kibutz ou para Bruxelas para aperfeiçoar o que seus dois mestres tinham revelado.
Decidiu se dedicar as artes e rumou para Bruxelas em 1955.

 
Maurice Prowizur - GAMA103-120x108 - Giclée
Maurice Prowizur - GAMA106-G-120x100-Giclée
Maurice Prowizur - GAMA004-120x100 - OST-Indisponível
Maurice Prowizur - GAMA002-100x080 - OST-disp.art.
Maurice Prowizur - GAMA003-100x090-Couple Enfant-Disp.Art.
 

Curriculum

Maurice Prowizur (1933-2002) pintor e muralista.

Aos 14 anos, muda-se para Israel após achar uma parte da família. A sua formação deu-se, primeiramente, com Marcel Yanko em Israel e em contato com o artista Marc Chagall onde este o aconselhou a aperfeiçoar seus estudos em Bruxelas.

Em 1955, Maurice matricula-se na Academia de Belas Artes de Bruxelas. Em 1960, após sua formação que lhe rendeu o prêmio Charles Buls, casa-se e, incentivado pela irmã, parte para o Brasil.O casal teve dois filhos no país e produziu muitas obras durante este período. Em 1964, devido aos seus traumas causados pelo holocausto,volta para a Bélgica devido ao regime de ditadura militar instaurado no Brasil.

Outro ponto que não pode ser esquecido trata do ‘encontro’ entre Prowizur
e o Brasil . O pintor desenvolveu uma trajetória que, iniciada no âmbito da pintura com
temáticas da vida cotidiana, atinge uma recusa a pintura narrativa voltando-se a
pintura figurativa principalmente em relação ao deslumbre que a terra brasileira causou ao artista.

Toda a obra de Maurice possui uma cromática muito viva, foi sensível aos motivos
pictóricos presentes nas paisagens brasileiras tais como:a arquitetura, a paisagem urbana, o homem brasileiro e a natureza. Em algumas obras, como no caso de Paysages do Brasil (São Paulo,1962),vemos estas características presentes onde traz
finalmente à tona toda pujança criativa deste artista. O rosto dos personagens, as edificações, os coqueiros, a parada de ônibus, a Igreja e a vegetação adotam contornos por vezes angulados porém outras formas da composição adquirem
uma estrutura geométrica.O pintor não é hermético à cultura visual de sua época, o que se faz presente na composição da maioria das suas obras.Aproximando-o com a
obra de Portinari e Segall, não torna-se também apenas um ‘ilustrador’ nem tampouco um repórter de seus dramas pessoais. Torna-se pertinente salientar que assim como Chagall(1887-1985), assimilou todas as inovações plásticas de sua época sem renunciar ao seu universo pessoal.



 
 
Av. dos Pinheiros, 820 - Loja 11
Aldeia da Serra - Barueri - CEP 06429-345.
55 11 4192.3812/2824